Gestão de tempo para quem quer tempo: 4 estratégias testadas e eficazes

“Oi, tudo bem? Só na correria?”. Vivemos em um mundo que parece que ter agendas cheias de compromissos e estar sempre fazendo alguma coisa é sinônimo de sucesso.


Seguindo essa lógica, produtividade significa trabalhar o tempo inteiro, a toda hora. Mas será que é isso mesmo?


Quando decidimos trabalhar como empreendedores autônomos, lidar com o tempo passa a ser exclusivamente nossa responsabilidade:


Se não organizamos nosso tempo, os prazos se perdem e temos a constante sensação de não ter tempo para nada, nunca.

Você tem aproveitado bem os seus dias?


Uma das principais vantagens dessa vida de autonomia é a possibilidade de se organizar em seu próprio ritmo, de aproveitar melhor o tempo. Esse parece ser um dos maiores atrativos dessa vida.


Porém, é bastante comum encontrar autônomos com grandes dificuldades para organizar a própria agenda. Isso está relacionado ao fato de bloquearmos a gestão do nosso tempo de diversas maneiras (às vezes inconscientes, às vezes imprevisíveis).


É importante olhar para essa dificuldade e encontrar suportes - de pessoas, agendas, ferramentas - para organizar o próprio tempo, de forma que possamos ser produtivos, cumprir nossos prazos e sentir que a vida é muito mais do que essa correria louca.


Isso porque gerenciar o tempo não é apenas anotar todos os compromissos na agenda ou seguir uma rotina fechada de horários. Gerenciar seu tempo tem a ver, também, com saber lidar com imprevistos, com ter a possibilidade de sentar e tomar um café com um amigo numa tarde depois de se encontrarem por acaso na rua.


Organizar seu tempo tem a ver com aproveitar os momentos, aproveitar o fluxo, o ritmo.

Por isso, é importante, sim, ter uma agenda (digital ou física, aquilo que for mais confortável pra você) e fazer do uso dela um hábito. Saber quais são seus compromissos, seus prazos, seus momentos de trabalho e seu tempo livre é essencial para enxergar o fluxo, o movimento, a fluidez.


Mas igualmente importante é estabelecer momentos de meditação, atividade física ou alongamentos, é incluir nessa agenda os cafés com os amigos, o cinema, o passeio no parque.


É entender que quando você faz algo por si mesmo, você não está perdendo tempo.


Afinal, o que é perder tempo? Perder pra quem? Perder o que?


E como fazer isso no dia a dia?


Não existe uma fórmula mágica para aplicar tudo isso em seu dia a dia. Existem, porém, algumas experiências vividas por outras pessoas que podem ser úteis.


1. Use uma agenda


Uma delas é fazer uso de uma agenda, onde você anote todos os seus compromissos, incluindo o tempo usado para locomoção, refeições e pausas. Você pode fazer isso no seu celular - existem diferentes aplicativos, dos mais simples aos mais complexos, para te ajudar nessa tarefa - ou em uma agenda de papel, em um planner, um quadro na sala de casa. O importante é poder olhar para essa ferramenta e ser capaz de enxergar o fluxo.


Os três aplicativos essenciais que uso na minha organização são:


Todoist - Aplicativo excelente para criar lista de tarefas. Super intuitivo, fácil de usar, funciona tanto em computador quanto celular e integra com o Google Agenda.


Trello - Excelente para organizar fluxos e processos. Depois que você pega o jeito de usar é maravilhoso! Pra mim foi importante entender bem quais eram os processos do meu negócio (desenhar no papel mesmo) pra depois colocar eles no aplicativo.


Google Agenda - Pra mim esse é essencial! É uma agenda digital. Todas as reuniões, compromissos e atendimentos de coaching que faço ao longo da semana estão nessa agenda, além das tarefas que coloco no Todoist.


2. Defina prioridades


Outra possibilidade é definir critérios e elencar suas atividades por ordem de importância com base nesses critérios. Assim você consegue saber o que é preciso ser feito antes e o que pode ser programado para depois.


Exemplo de alguns critérios:

  1. Prazo de entrega

  2. Nível de dificuldade da atividade

  3. Duração da atividade

Não tem segredo: é só pegar um papel, definir os critérios e ranquear a ordem das tarefas que você irá fazer. No Todoist dá pra fazer isso com cores.


3. Tenha planejamento financeiro pra não trabalhar 24 horas por dia


Para quem é autônomo, outra dica importante é gerenciar os próprios gastos e lidar bem com o dinheiro para, então, sentir-se mais livre para organizar o próprio tempo. A ideia aqui é se livrar daquela sensação de que você deveria estar trabalhando mais para ganhar mais. Nesse outro texto aqui falo um pouco mais sobre essa relação com o dinheiro.


4. Visualize o "pra quê?" você está fazendo


Você pode, também, relacionar cada atividade a ser realizada a um passo para alcançar suas metas. Assim, você pode sempre relembrar e reafirmar os motivos para fazer o que precisa fazer. Esse pode ser um bom caminho para aumentar sua iniciativa e sua força de vontade.


Exemplo:


Meta: Viajar para o Canadá -> Atividade: preencher um aplicativo com seus gastos diários


5. Encontre o seu caminho e siga em frente!


Você não precisa seguir todas essas dicas. Você pode escolher seu caminho. Você é autônomo, é livre. Aproveite essa liberdade. Encontre as melhores ferramentas, use-as e aproveite melhor o seu tempo!


Lembre-se que produtividade não é “estar na correria”. Produtividade não é lotar a agenda de coisas. Produtividade não é não ter tempo pra nada.


Produtividade é encontrar o seu ritmo e harmonia entre realização e bem-estar. É se empoderar do seu tempo de vida!

Trabalho por um mundo mais humano, empático e colaborativo

(41) 99600-9276

contato@ivanpetry.com

Rua Fernando Amaro, 60 - Curitiba/Paraná

  • Instagram
  • LinkedIn
  • YouTube