3 lições poderosas sobre o dinheiro

Quem escolhe a vida de empreendedor autônomo pode estar familiarizado com aquela sensação de ficar sempre apagando incêndios e por isso não conseguir fazer um planejamento financeiro.


Talvez por causa da instabilidade dos projetos e dos pagamentos recebidos, ou mesmo por causa dos custos inconstantes.


Nessa vida de autônomo lidar com o dinheiro pode ser um dos maiores desafios. Por isso, trago algumas reflexões para que você possa buscar caminhos possíveis para se encontrar nesse estilo de vida.


1) O dinheiro funciona como um fluxo de entradas e saídas.


Você está sempre pagando coisas. Essas coisas receberam energia de outras pessoas para serem feitas.


Você também recebe dinheiro pelo produto ou serviço que vende e, com certeza, investe uma boa energia nisso.


Ou seja, em essência, as trocas financeiras são trocas de energia.

Ter consciência desse fluxo é super importante para saber onde você está colocando e “gastando” sua energia!


Já existem diferentes aplicativos e programas que possibilitam diversos tipos de acompanhamento financeiro, mas você provavelmente já sabe disso, então, o que falta, talvez, seja encontrar a forma que melhor se aplica a você, aquela com a qual você se sente mais confortável, aquela que se encaixa em sua rotina e supre suas necessidades.


O jeito é experimentar! As vezes o bom e velho caderninho é o caminho!


Um aplicativo que me ajudou muito e eu uso diariamente é o Mobills.


2) Reconheça o seu valor!


Você provavelmente já sentiu dificuldade, também, de reconhecer o valor do seu trabalho e de atribuir um preço a ele.


Uma possibilidade para lidar com esse ponto é definir algumas metas pessoais para, então, reconhecer o papel do dinheiro na realização de cada uma delas. Isso pode ajudar a enxergar o dinheiro de outra forma e compreender o valor do seu trabalho.


Por exemplo: em vez de simplesmente definir um valor para ganhar mensalmente, defina como você quer que seja seu estilo de vida e, a partir disso, descubra o seu valor / o valor da sua hora.

3) Quais crenças você tem sobre o dinheiro


Uma crença é um padrão de pensamento, uma verdade que você forma dentro da sua percepção sobre o mundo.


Por exemplo: “para eu ganhar dinheiro tenho que me esforçar muito”, “quem ganha muito dinheiro é corrupto”, “dinheiro é sujo”. Existe um mar de crenças coletivas sobre o dinheiro!

Essas crenças podem limitar e dificultar a sua relação com o dinheiro. Por isso, é interessante refletir sobre as crenças que estão presentes na sua mente.


Com a consciência disso, você pode observar com mais atenção como essas crenças direcionam suas ações e, muitas vezes, te sabotam.


4) Trocar experiências é o caminho


A partir da troca de experiências com outras pessoas com caminhos semelhantes, é possível organizar os próprios pensamentos e metas, reconhecer suas dificuldades e limitações e, ainda, relembrar aquilo que já deu certo.


Com esse movimento, você poderá encontrar o fôlego necessário para enfrentar os novos desafios que surgem nessa caminhada.


Então, faça parte de grupos de pessoas com valores parecidos com os seus, converse com colegas de profissão e com outros autônomos.


Acolha as sugestões que receber em diferentes contextos, e procure exercer aquelas que mais fazem sentido para você no momento da vida em que você se encontra.


Ao fazer isso, você vai perceber que, no fim das contas, a questão nunca é só o dinheiro, mas sim aquilo que você faz com ele e a forma como ele chega até você.

Trabalho por um mundo mais humano, empático e colaborativo

(41) 99600-9276

contato@ivanpetry.com

Rua Fernando Amaro, 60 - Curitiba/Paraná

  • Instagram
  • LinkedIn
  • YouTube